Sites Grátis no Comunidades.net Criar uma Loja Virtual Grátis

Total de visitas: 2847768
 
Como É O Orgasmo Feminino

 

 

http://images.comunidades.net/enf/enfermagem/06bgbx.jpg

Começa com fortes e rítmicas contrações involuntárias da plataforma orgástica    "a terça parte externa da vagina" e do útero.

O rubor  sexual atinge o seu ponto máximo "os lábios vaginais ficam intumescido  e mudam de cor".

O clitóris  fica ereto e sensível ao toque, colaborando para o prazer e a chegada do orgasmo.

É possível   haver contrações involuntárias do esfíncter retal, o que leva, em         algumas mulheres, a sensação de dores no ânus, após o orgasmo.

Os  batimentos cardíacos aceleram-se, a pressão sanguínea e o ritmo da respiração também chegam ao ponto máximo.

Começa-se a  perda do controle muscular voluntário (em algumas mulheres pode-se  observar a contração de grupos de músculos no rosto, nas mãos e nos pés.

O  orgasmo feminino pode ser produzido pela estimulação clitoriana ou vaginal, ou por uma combinação de ambas.Essa estimulação pode se dar por auto-erotismo "masturbação", sexo oral, sexo com penetração vaginal, sexo anal, pelo uso de "vibradores ou consolos".

O orgasmo feminino NÃO é igual ao do homem. As mulheres podem gozar pela    estimulação apenas do clitóris, pela estimulação da vagina "mais raro", pela estimulação de ambos e pela estimulação anal. Geralmente, após orgasmo, uma mulher pode gozar novamente, se for devidamente estimulada e se ela estiver com desejo. Ao contrário dos homens que precisam de um certo tempo para se recuperarem.
O orgasmo é igual em todas as mulheres?

Não. Embora os estudiosos da fisiologia da resposta sexual feminina         descrevam, funcionalmente, alguns fenômenos comuns ao orgasmo feminino, não há um padrão único para que ele ocorra. Quero dizer que, embora hajam reações e sensações biológicas, orgânicas, corporais ... comuns a todas as mulheres, é possível verificarmos peculiaridades e características próprias do orgasmo se expressar, em cada uma de nós. Portanto, não há um modelo único, automático ou definitivo para que  o orgasmo se manifeste.

Além desse aspecto pessoal, os momentos e circunstâncias que experimentamos na vida, também são determinantes. O conhecimento sexual pessoal é adquirido ao longo de nossa vida sexual. A expressão prática da nossa    sexualidade, ao longo da vida, pode variar e mudar, dependendo do nível de maturidade frente ao sexo, do tipo de estímulo proporcionado pelo nosso(a) parceiro (a), dos níveis de erotização e desejo vividos, do conhecimento e controle dos mecanismos subjetivos da sexualidade "nossas fantasias, por exemplo", da capacidade de entrega aos prazeres do sexo, do desapego aos mecanismos repressores aprendidos pela educação, dos níveis de saúde e bem estar corporal, etc.

Não é possível descrever o orgasmo feminino como um fenômeno único. Cada mulher pode reagir e expressar comportamento próprio:

- há mulheres que tremem

-algumas contraem toda musculatura do corpo

-outras, dão "pulinhos" ritmados

-há mulheres que tem uma única sensação

-outras podem ter várias e seqüenciais descargas elétricas

- há mulheres que riem ... outras choram

Somente a mulher pode dizer e descrever seu orgasmo!
A mulher também ejacula?
Algumas mulheres, durante e após o orgasmo, apresentam, em toda a região chamada soalho pélvico "da vagina até o ânus", rápidas e seqüenciais         contrações. Em casos em que a mulher está altamente excitada e,         considerando as características de cada uma (portanto isso varia de mulher para mulher), o canal vaginal pode se apresentar com grande lubrificação. As contrações vaginais podem fazer com que, durante o orgasmo, ou após ele ter acontecido, o líquido lubrificante escorra para fora, dando a impressão de que a mulher está “ejaculando”.    
Há maneira de se saber como ou se uma mulher atingiu o orgasmo?

Não é possível descrever o orgasmo feminino como um fenômeno único. Cada mulher pode reagir e expressar comportamento próprio. Somente a mulher         pode dizer e descrever seu orgasmo!

O fato de a mulher ficar molhada não significa, necessariamente, que atingiu o orgasmo. Geralmente, as mulheres ficam molhadas quando excitadas. É também, verdade,  que muitas ficam mais molhadas ainda, quando atingem o orgasmo.

Explicar o que se sente no orgasmo, não é tarefa fácil, mesmo porque, as mulheres podem ter sensações diferentes. Além desse aspecto pessoal, os momentos, circunstâncias que experimentamos na  vida, e a compreensão de nossas reações, também são determinantes. Geralmente o orgasmo que caracteriza por uma intensa sensação de prazer, que inicia com contrações pélvicas, aceleração do batimento cardíaco e da respiração, e que culmina com uma “explosão”  corporal seguida de um relaxamento muscular.

O conhecimento do orgasmo se dá através da masturbação, em especial,         pela estimulação do clitóris. Veja como é importante a mulher masturbar-se para conhecer a si mesma. Nem todas as mulheres conseguem o orgasmo apenas com a penetração vaginal. No entanto, dependendo da posição sexual, o clitóris pode ser estimulado junto com a penetração, aumentando a sensibilidade, o prazer e as chances de atingir o orgasmo. Historicamente, a sexualidade feminina é reprimida. As mulheres conseguem segurar "esconder" mais a expressão do desejo e do prazer, da mesma forma em que conhecem menos do seu corpo e de suas reações e vontades.

Ela precisa: aprender a conhecer melhor seu corpo, suas preferência "de         posição, de práticas sexuais" e, precisa descobrir como gosta de ser excitada e tocada, e o tempo que precisa para iniciar a penetração, por exemplo. Se já sabe que ela gosta de ser estimulada nos seios,então faça quando ela quiser.

Sem dúvida, o prazer pela estimulação do clitóris, é muito mais fácil de ser conseguido e mais prazeroso, para as mulheres. Penso que muitas         garotas acabam por "desistir" de conhecer e por praticar o sexo vaginal pela dificuldade que muitas tem em alcançar o prazer pela penetração. Este é apenas um comentário. Não é uma crítica. Quero dizer com isso, que sentir orgasmo somente com a penetração vaginal é mais difícil, mas não é impossível. Pode ser aprendido.