Total de visitas: 2794914
 
Resultados da Pesquisa

 

 Introdução

A Sexualidade é a constituição de um indivíduo em relação a atitudes ou atividades sexuais. O sexo é a terminologia utilizada para referir-se às pessoas que apresentam características físicas e emocionais do sexo masculino ou feminino, relações ou jogos sexuais, totalidade das características de estruturas reprodutivas e funções. Fenótipo e genótipo, que se distinguem de fatores sexuais, estatisticamente amplos em conceito

OBJETIVOS  

2.1 Objetivo Geral

Verificar, através de um estudo de campo, a percepção das pessoas em relação a sua sexualidade.

2.2 Objetivo Específico

Conhecer a freqüência e dificuldades encontradas nas relações sexuais, Identificar o conhecimento em relação à prevenção das DST's.

3 Metodologia

3.1 Tipo de estudo:

Tratou-se de uma pesquisa de campo, não experimental de caráter descritivo, exploratório, através de uma abordagem quantitativa e qualitativa.

Na pesquisa não experimental a  relação entre fenômenos são estudadas sem intervenção experimental. Não há "manipulação". Não há tentativa deliberada e controlada de produzir efeitos diferentes através de diferentes manipulações.

Pesquisa exploratória é pouco ou nada estruturada em procedimentos e seus objetivos são pouco definidos, seus propósitos imediatos são os de ganhar maior conhecimento sobre um tema, desenvolver hipóteses para serem testadas e aprofundar questões a serem estudadas.

A pesquisa qualitativa responde a questões muito particulares. Ela se preocupa com um nível de realidade que não pode ser quantificado.

Questionários são instrumentos escritos e planejados para reunir dados de indivíduos a respeito de conhecimento, atitudes, crenças e sentimentos. A pesquisa survey baseia-se quase inteiramente em interrogar os sujeitos da pesquisa, ou com entrevistas, ou com questionários.  

3.2 Local da pesquisa

Na capital São Luis- Ma, Fundada por Franceses em 8 de setembro de  1612, a mando do Rei de França Luis XIII pelo Sr. De L’ Ravardieré, a pesquisa foi feita  nas periferias e bairros da cidade, que é patrimônio da humanidade, conhecida como cidade de porcelana, cidade dos azulejos  ou a “Ilha do Amor “.

A população deste estudo foi composta por indivíduos de varias idades ou trabalhadores, funcionários, estudantes, professores, etc.

A amostra foi composta por 1000 indivíduos que aceitaram participar da pesquisa de livre esclarecido (anexo 1). Foi assegurada aos participantes a questão do sigilo dos dados e a identificação pessoal.

Foram considerados critérios de exclusão para este estudo, os indivíduos com a faixa etária inferior a 12 anos, que estiveram em período de férias; que não são usuários e não aceitarão participar voluntariamente da pesquisa.

3.4 Procedimento de Coleta de dados

A coleta de dados foi realizada no mês de Janeiro de 2010 a Maio do ano de 2011, nos mesmos dias durante a semana. O instrumento de Coleta dos dados da Pesquisa de Campo foi um questionário estruturado (apêndice 1), desenvolvido pelos próprios pesquisadores para a coleta, composto por  questões abertas e fechadas, descritivas e concisas, advindas das inquietações dos pesquisadores.

Após esclarecimentos (anexo1) em uma sala reservada. Respondiam perguntas abertas e fechadas referentes às suas características e sua sexualidade (apêndice 1). A duração média da entrevista foi de dez minutos para cada individuo.

Análise dos Dados da Pesquisa de Campo

Posteriormente a aplicação do questionário, foi realizada a análise dos dados, seguindo as etapas.

  1. Leitura completa e presença sensível na transcrição do que o participante descreveu. 
  2. Especificação das expressões importantes em cada segmento de pensamento, usando as palavras do participante. 
  3. Síntese preliminar de significados fundamentais de todos os segmentos de pensamento para cada participante com um foco na essência do fenômeno que esta sendo estudado.

 RESULTADOS E DISCUSSÃO

A amostra foi composta de 1000 indivíduos totalizando 100% das pessoas. Quanto ao gênero 70,58% são do sexo feminino e 24,42% do sexo masculino.

Quanto ao estado civil dos 100% dos indivíduos entrevistados, 41,17% são casados, 23,52% são solteiros, 23,52% são viúvos e 11,76% são amasiados.

Quanto ao grau de escolaridade dos indivíduos, verificou-se que 58,82% com ensino fundamental incompleto, 23,52% com ensino fundamental completo, 11,76% com ensino médio completo e 8,88% com ensino superior completo 6,63 % superior incompleto.

Quanto à quantidade de filhos dos indivíduos entrevistados, verificou-se que 5,88% com um filho, 35,29% com 2 filhos, 11,76% com 3 filhos, 11,76% com 4 filhos, 17,65% com nenhum filho.Quanto ao tipo de prevenção durante a relação sexual, 82,35% relataram que não usam preservativo, 11,76% utilizam o condon masculino e 0,05% dos indivíduos condon feminino.

Na questão intitulada qual o tipo de relação sexual os indivíduos, tiveram a oportunidade de responder mais de uma alternativa da questão, 70,58% usam a forma de coito vaginal em sua relação sexual, 17,65% referiram não ter de relação sexual freqüentemente, 8,58 referiram ter relações anal, masturbação 98,79 % das mulheres com idade 12 a 80 anos referiram usar essa pratica habitualmente “duas a quatro vezes por semana”, 18,45 % dos homens com idade 12 a 60 anos praticam a masturbação semanalmente “uma a duas vezes por semana”.

O sexo na terceira idade está envolto em preconceitos para ambos os sexos, as mudanças são gradativas não havendo nenhuma idade ou fase crítica. Ocorrem mais no campo da freqüência e do vigor, do que no modo e na qualidade do prazer. Havendo os sentimentos de ser querido, necessário, importante a capacidade de receber amor e afeição, o sexo só acaba quando tudo se acaba: na morte. Para o idoso significa muito mais que o coito e sim as caricias. Relação sexual é todo e qualquer ato afetivo - e não somente o coito - sendo uma prova de amor, assim como a gravidez também.

Nesse contexto, a "sexualidade é dimensão ontológica que se manifesta na

Corporeidade, “expressa nossa maneira de ser e de estar no mundo mediante os erros que permeiam o cotidiano humano”. É uma característica humana que não se perde com o tempo, mas vai se desenhando, conforme a história vivenciada pelo corpo vivente em sua trajetória existencial.

Verificou-se que na vida sexual do idoso da amostra 35,29% referiram não ter relações sexuais, 35,29% possuem eventuais relações sexuais e 29,41% dos idosos são sexualmente ativos.

Denotando a exclusão da abordagem sobre sexualidade nos meios de comunicação e nas campanhas voltadas a prevenção das DST's para a população que demonstra grande lacuna nas múltiplas referências dos fatos em que se constrói a epidemia. É crescente o número de pesquisas que mostram o indivíduo está cada vez mais ativo sexualmente, fato este observado principalmente após a liberação do uso de medicamentos que melhoram o desempenho sexual do homem, principalmente o Viagra.

Devemos ter em mente que envelhecemos de diferentes maneiras e que nem todas as pessoas da mesma faixa etária apresentam características semelhantes. Reconhece-se que caracterizar a pessoa  é um desafio, uma vez que a condição humana apresenta-se complexa e peculiar, o que torna difícil estabelecer um perfil comum a todos.

Nas respostas sobre os problemas na relação sexual 70,58 % declararam não apresentar problema durante a relação sexual, 23, 52% relataram dificuldades na ereção, ejaculação precoce e lubrificação ineficaz da vagina e 5,9% relataram não ter relações sexuais freqüentemente.

Quanto a traição relataram as mulheres, 87,4% traírem os maridos durante os 15 primeiros anos de casadas, 68,4% nos 10 primeiros anos, 42,6 % nos  5 primeiros anos, 2 primeiros anos 12,3 %, os homens 40,6 % relataram ter traído as esposas nos 15 primeiros anos,  36,5% nos 10 primeiros anos, 26,7% nos 5 primeiros anos, 9,7%, nos 2 primeiros anos 0,6%.

Quanto ao conhecimento que possuem sobre a prevenção de DST's verificou-se que 82,35% relataram que conhecem como se previne estas doenças e 11,77% não conhecem o assunto.

Quanto ao meio ou forma adquiriram o conhecimento sobre as DST's, 64,70% dos sujeitos relataram que foi através da televisão, 23,53% através de outros meios e 11,76% através do profissional da medicina.

[...] A educação sexual, que deveria ser uma dimensão fundamental da medicina, também é eficaz como uma forma de apoio, permitindo aos indivíduos e aos casais superar os seus problemas sexuais. Em segundo lugar, existe uma necessidade de orientação para os indivíduos e os casais que tenham problemas um pouco mais complexos; esta pode ser assegurada pelas enfermeiras, parteiras, médicos, generalistas, ginecologistas e outros profissionais. (15)

 

Quando responderam sobre a possibilidade de usar algum meio de prevenção durante a relação sexual, verificou-se que dos 100% da amostra, 58,82% relataram que possuem parceiros conhecidos e fixos, 11,77% usam camisinha na relação e 29,41% verificou-se a pratica do tabu em usar preservativos durante a relação sexual e o fato de parceiro conhecido e fixo ser um método errôneo de prevenção de DST's.

Sabe-se que em tempos de AIDS e DST's não se usa mais a orientação de grupo de risco e sim comportamento de risco, desta forma, mesmo com parceiros fixos e conhecidos é necessário e fundamental o uso do preservativo.

Observando as recomendações para a prevenção pelo governo Brasileiro achamos e concordamos com o uso de preservativos em todas as relações sexuais ser o método mais eficaz para a redução do risco de transmissão, tanto das DST quanto do vírus da AIDS.

 

 

 

 

Criar um Site Grátis    |    Create a Free Website Denunciar  |  Publicidade  |  Sites Grátis no Comunidades.net