Sites Grátis no Comunidades.net

Total de visitas: 2843501
 
Ejaculação


 

Ejaculação

1. O aparelho genital masculino

Principais componentes da genitália masculina

Como principais componentes da genitália masculina podemos citar:

  • externos: testículos e pênis;

  • internos: próstata, canais deferentes e vesículas seminais.

 

 

 

Todos os elementos da genitália masculina

 Observe que nos órgãos externos (testículo e pênis) são mostrados no interior do testículo os tubos semíferos e o canal do epidemio, e é mostrado no interior do pênis a uretra, o corpo cavernoso e o corpo esponjoso.

Nos órgãos internos da genitália masculina em amarelo aparece a bexiga, em vermelho a próstata, em amarelo mais forte a vesícula seminal. E o canal deferente em marrom, na figura está saindo do testículo e indo até a próstata.

 

 

 

2. O que é o espermatozóide?

 

O espermatozóide é uma pequena célula capaz de se locomover. O espermatozóide contém a metade das informações genéticas (provenientes do pai), necessárias a criação de um novo ser humano. A outra metade das informações genéticas estão no óvulo da mãe.

O espermatozóide é formado por três partes:

  • a cabeça contém o acrossomo, que é uma reserva de enzimas que permite ao espermatozóide perfurar a parede do óvulo. Ainda na cabeça há o núcleo onde estão contidas as informações genéticas.A cabeça:

  • na peça intermediária estão reservas de energia necessárias à realização de movimentos do flagelo.A peça intermediária:

  • O flagelo: é a parte que ondula e permite o espermatozóide "nadar".

 

Os espermatozóides, também chamados de "gametas machos", ocupam somente 10% do volume do sêmen emitido numa ejaculação. Os espermatozóides ejaculados dentro da vagina têm tempo para fazer deslocamento, sua duração de vida, de 2 a 5 dias.

 

 

 

3. Onde são produzidos os espermatozóides?

Os espermatozóides são produzidos dentro dos tubos semíferos, dentro do testículo. Cada um dos testículos contém de 600 a 1.200 destes tubos, são muito finos e emaranhados como num novelo. A partir da puberdade e durante toda a vida os espermatozóides são continuadamente produzidos no interior destes tubos. Na figura acima os tubos semíferos estão apresentados na cor verde.

 

 

4. Onde ficam armazenados os espermatozóides?

Os espermatozóides produzidos dentro dos tubos semíferos são liberados (soltos) no centro destes tubos para que possam ser levados até ao epidemio. O epidemio é onde ficam armazenados os espermatozóides por aproximadamente duas semanas. Na figura acima o epidemio (e seus canais) está apresentado na cor laranja.

 

 

5. O que é o sêmen?

Depois de mais ou menos duas semanas os espermatozóides saem do epidemio e viajando dentro do canal deferente os espermatozóides chegam até a vesícula seminal e a próstata. Os espermatozóides ao chegarem na vesícula seminal se mistura com secreções líquidas aí produzidas, o mesmo acontecendo quando chegam na próstata. A mistura de espermatozóides mais secreções da vesícula e da próstata é chamada de sêmen. Fica claro portanto que esperma e sêmen não são sinônimos.

 

 

6. O que é a ejaculação?

A ejaculação é o fenômeno da evacuação do sêmen. Ocorre na fase de ereção do pênis em que há uma enorme liberação de energia a que chamamos de orgasmo. Geralmente em uma ejaculação são descarregados de 2 à 5 ml de esperma, o líquido restante é apenas suporte para assegurar a sobrevivência dos espermatozóides em seu deslocamento.  

 

7. O percurso do esperma e do sêmen durante a ejaculação

O esperma e o sêmen fazem o percurso indicado pelas setas na figura acima.

No testículo, o esperma fica reservado no epidemio. Com o excitamento sexual e a propagação do orgasmo, o esperma sai do epidemio e percorre o tubo deferente (ambos os tubos deferentes, o que sai do testículo esquerdo e o que sai do testículo direito).

O tubo deferente é longo e faz um arco para cima, alcançando a posição em que está a bexiga, passa ao largo externo dela e aí o tubo deferente começa a descer.

O tubo deferente passa próximo da vesícula seminal e a pouca distância abaixo desta, o tubo deferente encontra o duto proveniente da vesícula seminal, este outro duto é chamado de duto ejaculatório. O esperma que vêm do tubo deferente mescla-se aos líquidos excretados pela vesícula seminal, trazidos pelo duto ejaculatório.

A partir desse ponto se está ejaculando o esperma mesclado dos líquidos excretados pela vesícula seminal.

O tubo deferente e o duto ejaculatório se encontram no interior da próstata, e tornam-se um único canal ao qual chamamos por uretra. A uretra tanto descarrega esperma tanto quanto urina.

Na uretra, logo que deixa a próstata, há um mecanismo de oclusão que impede que a mescla de esperma se misture com a urina, numa parte mais larga da uretra, o "bulbo da uretra".

Agora temos uma mescla de esperma mais líquidos produzidos pelas vesículas seminais e líquidos produzidos pela próstata, a ejaculação então percorre a uretra, até chegar no orifício da cabeça do pênis (meato).

Pronto. Os espermatozóides contidos no esperma, devidamente protegidos pelos líquidos produzidos pelas vesículas seminais e próstata, são arremessados para fora do pênis, concomitantemente há uma sensação de intenso prazer e apoteose. Pode acontecer de ocorrer uma ejaculação de pré-orgasmo, na qual é expelida apenas os líquidos da vesícula seminal e próstata, ou estes líquidos mais uma pequena porção de esperma, e posteriormente com o aumento da tensão sexual se dará a ejaculação plena de esperma.

 

http://images.comunidades.net/enf/enfermagem/090_1000goz.jpg